Turmas do Ensino Médio vivenciam provas bimestrais virtuais

Pela primeira vez na história do Colégio Maxi as provas bimestrais acontecem virtualmente. Com a suspensão das aulas físicas em atendimento às medidas de isolamento social, em virtude da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), os exames foram adaptados à nova realidade de alunos e professores. No Ensino Médio, as provas tiveram início na primeira quinzena de maio. Entre as adaptações feitas pela Coordenação do colégio estão as reformulações de questões e aumento no tempo de realização.

De acordo com a coordenadora pedagógica do Ensino Médio, professora Luciane Prado, um dos desafios para a aplicação de provas virtuais é a concentração dos alunos. Por este motivo, houve o acréscimo de uma hora para que eles finalizem os exames, levando em consideração que os jovens não estão no ambiente escolar.

“Em casa são muitos os obstáculos que podem tirar a atenção do aluno. Desde o uso de celular ao fluxo de pessoas na residência. Orientamos sempre que eles façam a prova no computador, em um lugar calmo e silencioso, como se estivessem mesmo na sala de aula. O momento da prova é de foco e concentração, sem qualquer tipo de interferência externa”, completa Luciane.

No Maxi, as aulas online foram adotadas a partir de 13 de abril, em atendimento aos decretos municipal e estadual de suspensão das atividades escolares. O recesso de julho foi antecipado, sendo as aulas retomadas por meio da plataforma Plurall.net, em que alunos encontram também listas de exercícios e atividades extras para complementarem os estudos.

Em relação às provas, Luciane Prado conta que aos professores foi dada a missão de reformular as questões a serem aplicadas. Isto porque, na maioria das vezes, as provas utilizam perguntas de vestibulares de Mato Grosso e outros estados, além do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), até como auxílio na preparação aos tipos de questões cobradas.

“Solicitamos aos professores que busquem adaptar estas questões, alterando enunciados e as alternativas de respostas e até mesmo que elaborem questões inéditas. O objetivo é evitar que o aluno, por exemplo, procure por aquela pergunta na internet e encontre rapidamente a resposta”, explica.

A coordenadora ressalta que tentativas de “cola” na prova são prejudiciais somente aos próprios estudantes. Porém, o que tem sido notado até o momento é uma grande conscientização e seriedade dos alunos. “O resultado da prova é de total interesse do estudante, porque é com que ele que identificamos onde e como é possível melhorar e desenvolver planos pedagógicos específicos. Felizmente, não temos tido problemas com relação a isso. Acredito que todos estão conscientes e são responsáveis”, finaliza Luciane Prado.

5 dicas para fazer uma boa prova virtual

  1. Use o computador. Dessa forma a concentração é maior na prova, além do desconforto de ficar muito tempo com o celular em mãos.
  2. Avise familiares e demais moradores da casa sobre o horário de início e término da prova. Isto evita interrupções durante o exame.
  3. Desligue todos os aparelhos eletrônicos presentes no seu local de prova, principalmente, o celular.
  4. Deixe lanches, frutas e água próximos ao seu local de prova. Com isso, não há necessidade de ir até a cozinha, por exemplo.
  5. Dê intervalos entre questões muito longas e complexas. Aproveite que tem uma hora a mais para terminar e descanse.