Alunos do Colégio Maxi conquistam medalhas na Olimpíada Brasileira de Física

Os alunos do Colégio Maxi, Pedro Kreutz Werle, Kenzo Shibasaki e Luís Eduardo Masasuke Mashima, mais uma vez foram destaque em competições da área de exatas. Eles conquistaram medalhas na edição 2018 das Olimpíadas Brasileiras de Física (OBF), cuja premiação foi realizada nesta quarta-feira (11 de setembro), no campus do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) em Cuiabá (MT).

Luis Eduardo, que participou da competição quando estava no 9º Ano da ECSA, ficou com a Medalha de Prata na OBF 2018, repetindo as boas performances do ano anterior, quando recebeu Medalhas de Prata na etapa estadual e Bronze na etapa nacional pelo resultado na OBF 2017. Já Kenzo Shibasaki ficou com a Medalha de Bronze na OBF, que se soma a outra de Bronze conquistada na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas e Privadas (OBMEP) de 2017.

Pedro Werle foi o ganhador da Medalha de Prata no estadual da OBF 2018 e comemorou bastante o resultado. “É um momento muito importante, porque é o reconhecimento por todo o trabalho da gente ao realizar uma prova que é notavelmente difícil, de uma matéria que é muito importante para nossa vida”, disse o estudante que frisou gostar muito de Física, especialmente por sua utilidade para o desenvolvimento. “Acho muito bonita a utilidade que ela tem. Praticamente tudo o que a gente usa hoje em dia tem uma pitadinha de Física e incentivar as pessoas a entrar nessa área é muito importante para você ter inovações”, avaliou.

Ele lembrou que um dos grandes incentivadores neste caso é o professor Marcos Wimbeg Ferreira, que também auxilia alunos em Olimpíadas de Matemática, Astronomia e Química. “Essa premiação demonstra que todo o trabalho e estudo deles valeu a pena e eu fico feliz pelo reconhecimento também como professor e incentivador”, enfatizou Marcos.

O educador disse esperar que, além de premiados, eles façam a diferença das mais diferentes formas. “Que não só vivamos de premiação, mas de grandes educadores, cientistas, profissionais. Que esses meninos deem o melhor para o Brasil, para o futuro do nossos país. Estamos precisando bastante de meninos bons assim”.

 

Fotos: Helder Faria