Alunos se tornam membros da ONU, do governo americano e parlamentares por um dia

Os uniformes escolares deram espaço a ternos, gravatas, saias e saltos altos na noite desta quinta-feira (5), no Colégio Maxi. Foi a noite de lançamento do projeto Maxi Múndi, que envolve 150 alunos em uma simulação baseada nas reuniões da Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante dois dias, os alunos – que já passaram por treinamento – simularão a atuação em importantes instituições nacionais, a exemplo do Senado e da Câmara dos Deputados e internacionais – como é o caso do Conselho de Segurança das Nações Unidas e o Comitê de Crise do gabinete do presidente americano, Donald Trump.

E toda esta atuação ganhará destaque por um comitê não menos importante que os demais: o de imprensa. E foi com os olhos atentos à composição da mesa de abertura do evento, que a aluna do 2º ano, Luisa Belentani, registrava toda a movimentação nas redes sociais – ferramenta que ela domina muito bem.

Luisa é uma das integrantes do comitê de imprensa e já teve uma oportunidade anterior a essa em que participou da simulação durante uma excursão escolar à Universidade de Yale, nos Estados Unidos. Agora, põe em prática tudo que aprendeu e compartilha o conhecimento com os colegas.

“Foi uma experiência bem legal que eu tive em Yale, apesar de não sabermos como era uma simulação, mas fomos bem acolhidos. Mas participar de uma experiência como essa no Brasil é diferente, porque aqui as pessoas são mais abertas, discutem mais sobre os assuntos e isso é muito bacana”, pontuou a jovem de 15 anos.

Os igualmente atentos são da professora Ana Paula Moreira dos Santos, que coordena o comitê de imprensa. Apesar de ser a responsável, a educadora lembra que todo o trabalho de entrevistas, registros e alimentação das redes sociais será feito pelos alunos, o que auxilia não só no processo de aprendizado de uma nova habilidade, como fomenta a visão crítica deles.

“O Maxi tem se pautado pelo conceito de metodologia ativa, que nada mais é do que o aluno ser o protagonista. Por exemplo: eu sou coordenadora do comitê de imprensa, mas a movimentação é deles, eu sou um apoio. É o aluno no protagonismo de sua vida”, explicou Ana Paula.

Os estudantes discutirão importantes temas contemporâneos, a exemplo do projeto Escola Sem Partido, pauta discutida pelos alunos que compõem o Senado; segurança pública e política de desarmamento, pelos que compõem a Câmara; as crises vivenciadas pelos Estados Unidos no Governo Trump, discutida pelo Comitê de Crise; e, por fim, inteligência no combate ao terrorismo, discutida pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas.

“Essa profunda conexão com uma realidade que pode parecer distante da nossa compreensão, possibilita que os alunos desenvolvam habilidades como a oratória, a argumentação e a organização de ideias expressivas que podem ou não coincidir com seus próprios ideais, além de contribuir com o futuro profissional deste jovem”, ressaltou o diretor do Maxi, professor Leão.

As sessões serão realizadas nesta sexta-feira e sábado (6 e 7 de setembro), no Colégio Maxi.

Fonte: Pau e Prosa Comunicação

Fotos: Helder Faria