Abertura da Semana das Profissões do Colégio Maxi fala sobre desafios e perspectivas

“Não existe profissão do futuro, o que existe são profissionais do futuro…” A frase atribuída ao pensador italiano Domênico de Masi, apresentada pelo psicólogo Guilherme Davoli na palestra de abertura da Semana das Profissões do Colégio Maxi, nesta segunda-feira (12 de agosto), mostra que é preciso rever a maneira como projetamos nossas vidas. Num mundo em constante transformação, é preciso estar consciente de que o curso da vida tem grandes chances de mudar e estar preparado para acompanhar a evolução, alertou.

Psicoterapeuta, consultor educacional e empresarial e autor de livros, Guilherme conseguiu capturar a atenção dos alunos com uma palestra que teve como ponto de partida a maneira de ser, sentir e agir do ser humano, como as emoções e  a ansiedade, para depois discutir futuro. “Apesar de ser psicólogo, não vim falar de Psicologia, vim falar sobre as perspectivas do mercado de trabalho e o quanto questões ligadas a ansiedade, stress e depressão hoje estão interferindo diretamente nesse espaço”, frisou.

O palestrante procurou mostrar que o estudante deve compreender que escolher uma faculdade ou um curso não vai definir sua vida. Segundo Guilherme, é importante buscar uma profissão, uma atuação, que faça a pessoa se sentir bem naquela atividade, mas é preciso compreender que sempre há uma chance bastante grande de a profissão escolhida perder o status ou mesmo desaparecer. “Devemos compreender que não existe mais a ideia de estabilidade. É preciso entender que é importante estar sempre em mutação, sempre apreendendo mais, aprendendo o novo”, disse.

O psicólogo também falou sobre os excessos, de cobrança, de ansiedade, de estudo e os males que causam. “Aquele aluno que chega, principalmente agora, no segundo semestre, e começa a se desesperar, quer estudar além da sua própria condição física, acaba atrapalhando o objetivo dele, a ponto de você ter excelentes estudantes que simplesmente, quando chegam no vestibular, passam mal. E aí acabou, dá aquele branco total. Essas questões são muito sérias”, exemplificou.

Para os alunos, as dicas foram de grande valia, não só para as fases escolar e acadêmica. “Achei bem importante, porque ele não falou só em relação aos estudos e a escola, e sim à vida. Coisas que se pode levar para a vida em si. É uma grande aprendizagem. A pressão atrapalha bastante. Não podemos pensar só nisso”, citou Mateus Borges Lotufo 3º B. “Gostei dessa palestra porque nos orientou a  tirarmos a tensão dos estudos e pensarmos mais em nós, que é importante manter a nossa saúde, o nosso bem-estar”, acrescentou João Victor Neves Alves, 3º C.

Programação variada

 

A Semana das Profissões prossegue até o dia 15 de agosto, no Espaço Multiuso, com palestras, workshops, visitas a empresas e universidades, bate-papo, orientação vocacional e exposição. Esta última conta com a participação de instituições de ensino superior públicas e privadas que trazem informações sobre os cursos oferecidos nas mais diferentes áreas: medicina, odontologia, administração, direito, fisioterapia, nutrição, educação física, química, física, saúde coletiva, entre outros.

O Instituto de Física da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) caprichou nas estratégias utilizadas  para chamar bastante a atenção dos estudantes. Levou um gerador de Van der Graaff, para mostrar a Eletrostática e o efeito de um raio atmosférico; um gerador de ondas longitudinais para falar um pouco sobre o som; e uma guitarra elétrica fabricada pela instituição, para mostrar como se pode usar a ciência no dia a dia.