300 anos de Cuiabá é marcado por atividades culturais e sociais no Maxi

Para comemorar o aniversário de 300 anos de Cuiabá, o Colégio Maxi promoveu uma série de atividades para celebrar a data junto com os alunos. Na última sexta-feira (5), os estudantes do Fundamental II realizaram uma feira gastronômica com comidas típicas da região, apresentações de poesias e exposição de pinturas.

Segundo a professora de artes, Vânia Pires, todos os trabalhos apresentados pelos alunos foram desenvolvidos com base no que viram nas matérias de História e Cultura. “Inicialmente trabalhamos o conceito do que é patrimônio, o que é material e imaterial, para conscientizar sobre a importância de se preservar questões culturais de Cuiabá. Sua parte histórica”, contou.

Ela destacou ainda que nos trabalhos de pintura os alunos foram desafiados a criar uma logomarca que representasse os 300 anos de Cuiabá e a história cultural da cidade. “Foram cerca de quinze dias de produção dos trabalhos. Agora, iremos escolher a melhor pintura de cada turma, por meio de votação entre os demais professores. Aqueles que atenderam melhor o tema e tiverem pintura inédita ganhará um prêmio para a Páscoa”, revelou Vânia.

 

A atividades não pararam por aí. Além do resgate e imersão cultural, os alunos do 9º ano promoveram ainda uma feira solidária para a arrecadação de fundos, que serão doados para instituições que cuidam de idosos e crianças. As entidades beneficiadas serão escolhidas em conjunto pelos próprios estudantes.

Proativos, a coordenadora pedagógica do Fundamental II, Lilian Kelly de Lima Rodrigues, conta que houve uma adesão muito grande dos alunos quando a ideia foi proposta. “No dia seguinte que propomos a iniciativa da ferinha, eles já apareceram com os grupos formados. Esperamos que as arrecadações sejam positivas, para que possamos trabalhar ainda mais esse lado solidário dos alunos”.

Lilian ressalta que todas as atividades desenvolvidas neste primeiro semestre com os alunos são voltadas para o aniversário de Cuiabá e são trabalhadas dentro do contexto pedagógico. A ideia da feira solidária agradou a todos, especialmente aqueles alunos que já desenvolvem ações de voluntariado fora da escola.

É o caso do estudante Renato Gabriel Custódio, do 9º ano. “Faço parte de um grupo chamado Jovens Voluntários, que organizam ações como esta. A ideia do colégio em ajudar quem mais necessita foi muito legal. Além de ser uma oportunidade de sairmos da parte maçante da sala de aula”, contou.

Júlia Azambuja, também do 9º ano, é voluntária nas horas vagas ao lado de sua mãe, participou da feira solidária do Colégio Maxi. “Considero muito importante ajudar outras pessoas. Sou voluntária no Hospital de Câncer (infantil) e em um asilo da cidade, o que podemos notar é quem além do financeiro, eles são necessitados de carinho. O voluntariado é algo bom, que vem do coração”, disse a estudante.

Durante a ação, os alunos comercializaram bolos de queijo, de arroz, de fubá, cenoura com chocolate, francisquitos, paçoca de pilão, salgadinhos, sucos, chás e muito mais. Os valores variavam de R$ 2 a R$ 5.

A segunda edição da Feira Solidária já tem data marcada e acontece nesta quinta-feira (11), realizada pelos alunos do 8º ano.

 

Fonte: Pau e Prosa Comunicação

Fotos: Junior Silgueiro